sexta-feira, 15 de abril de 2011

Eric Clapton - Wonderful tonight

Tempos e emoções

Cada minuto,
é um só minuto...
Porque cada segundo de tempo se vive á medida que passam,
um após o outro,
naquela cadência que não faz cedências,
numa teimosia intemporal,
sem pressas,
indolente,
vencendo a barreira das vontades...
Há verdades imutáveis,
e a verdade de amar é imortal,
o que nos nasce em sentimento não perece,
é incontornável...contém em si todos os segundos do mundo,
todos os minutos da sua verdade ...
A verdade ,
minha,
absoluta...é de que te vou amar cada "tempo" que o" tempo"do amor  me quiser dar...
E porque a tua tranquilidade e paz me tiraram o medo,
 seja o que for,
um dia só, ou um universo inteiro de tique- taque ,
as minhas emoções são as mais nobres ,
o afecto mais puro,
a amizade mais cumplice,
a ternura mais quente,
o carinho mais forte,
o companheirismo mais leal,
e o calor dos momentos mais escondidos ,
indizivelmente bom,
numa troca de pele que arde em  chamas ,
em labaredas que não apetece controlar...
Não importa adivinhar o tempo,
que passe como tiver que passar,
e se um dia ,num minuto ,num segundo do espaço,
a labareda acabar...resta-nos ainda um mundo bom de sentimentos eternos,
que compoem a fidelidade do elo...
O maior de todos os sentimentos ,
o elo primeiro...
A amizade...

segunda-feira, 4 de abril de 2011

Medo e querer

Nenhuma rima me faz sentido,nenhuma frase me enche a alma  ,nenhuma canção é suficientemente bonita pra te cantar ...
Tudo me parece incerto,e  tudo é tão possivel...
Vejo-te em cada rua,em cada estrada ,em cada caminho meu...
Sinto-me qual miuda que espreita por entre a cortina da janela,com suspiros no peito...
Aquele metro de espaço que nos manteve quedos ,que nos manteve intactos ,de afectos e afagos,
nas horas lunares,deixou-me na boca o gosto a pouco,
e na vontade ,o querer mais...
E corriam em mim pensamentos que raiavam o insano,e na pele o frio do medo, do toque rejeitado...
Não me reconheço mais ,a idade tirou-me o impulso,
deixou-me a coerencia...mas cá dentro há aquela mesma inocencia ,num sonhar descombalido,
de um querer-te desinibido,sem regras ou tabu...
No meu medo só existem os teus possiveis "nãos"que não tenho vontade de escutar ,
e apeteceu-me arrancá-los um a um,
enquanto te via os gestos,o sorriso bonito,a pele dourada...
Como me senti danada,por ter tanto receio,e tão feliz por me conter ...
Afinal querer muito não é sinónimo de querermos ambos,
e por sermos parte do mesmo filme,de em nós haver uma flor selvagem,
nada me é certo e sabido...
Tenho-te na vontade dos meus segredos,
fiquei-me contigo inteiro nos  sentidos...

quinta-feira, 17 de março de 2011

Os sentimentos vão para lá da idade...são eternos!

Como é que uma das questões essenciais e vitais do ser humano ,continua cheia de tabus e regras desmesuradas,que complicam a vida de todos !
Que técnicas estranhas conseguimos inventar para nos fazermos tão infelizes e aos outros!
Percebi há muito tempo que os Pais são supostamente assexuados,pelo menos em alguns continentes deste planeta,e se juntaram sabe-se lá com que técnica para nos trazerem a este mundo!!
"Mães e pais não têm pipis funcionais",este é o pensamento cinzento ,que nos incutiram sobretudo através da castração que alguma religião fez ao universo!
A situação piora á medida que os filhos se tornam adolescentes,porque quando se dão conta da quantidade de coisas "proibidas e prazenteiras"que podem praticar,entendem que lá por casa também os papás têm libido...e é muito confuso e constrangedor,até porque ainda não se fala muito deste assunto!
As reuniões escolares são um dos locais onde melhor se entende que toda a tecnologia avançada,avança lares adentro...mas de "pipis"não se fala!Esta tecnologia vem calar ainda mais o diálogo sobre questões de intimidade que por mero acaso já era de uma escassez como água no deserto!
Tive e tenho a sorte de ter uma mãe muito pouco vulgar...sempre me abriu as portas á conversa sobre esta matéria!Verdade seja dita que não avançou muita tecnologia moderna casa adentro...ainda bem,não havia ainda, e se existisse ...não tínhamos dinheiro para tal!
Mas mesmo assim ainda consegui a proeza de me espantar e desconjuntar psicologicamente num arrufo tolo com o meu pai quando percebi que apesar de alguma idade ,vivendo na altura em minha casa ,tendo já sido ele vitima de dois AVC,e sendo uma situação degenerativa,o meu pai gostava de ver revistas com soutiens...!
Parva que fui ,ele só estava a ser gente ...e feliz!
Caso para dizer de mim própria "até tu tolinha!!"!
Depois de ter sido alvo de paixão há alguns anos atrás por parte de um senhor de muita idade,e tendo esclarecido o mesmo de que gostava do senhor como se fosse meu avô (num laivo de pretensa sabedoria minha)afastando-me do mesmo porque não soube lidar com a aflição que me provocava ver alguém tão "velhinho"deixar-me flores todos os dias no portão da casa onde eu trabalhava!Falando depois com um cientista da "Mente",fiquei esclarecida de que ,o que envelhece no ser humano é o corpo,e que por dentro amadurecemos,mas somos sempre umas almas prontas para se apaixonar,amar,sofrer de rejeição,solidão ,incompreensão e imensa paixão!
Quando penso sobre este assunto á luz de alguma consciência e informação,percebo as atrocidades que os filhos adultos cometem com os Pais ,privando-os até de pensar em amor!
Iludem-se aqueles que não aceitam que fazem filhos com a mesma paixão que os pais os fizeram a eles ...
Iludem-se aqueles que pensam poder comandar a vida sentimental dos mais velhos ,só porque são mais novos e pensam que decidem o principio e o fim do carácter dos progenitores...
Iludem-se aqueles que fecham os olhos á verdade...
E a verdade (penso eu ,claro)é que enquanto houver um resquício de raciocínio no ser humano ,há sentimentos...e o amor ...e o sexo ...fazem parte desde o principio até ao final da sua existencia!
Deixem amar os pais...
Deixem amar todos aqueles que já avançaram na idade ,mas que por dentro continuam inteiros,vivos,a florescer sentimentos todos os dias enquanto respirarem...
Pretensão estranha esta de que só os novos "são"qualquer coisa de digno,e que os mais velhos são umas "coisas" de trazer por casa!
A minha mãe tem sessenta e oito anos ,e amiúde lhe peço que se apaixone,que deixe o amor avançar na vida dela...
O meu pai infelizmente já não está neste "mundo"terreno,mas sei que depois da querela das mamocas e do soutien ainda se apaixonou muito,se calhar muitas das vezes só confessou aos seus botões,mas decerto que em muitos momentos lhe deu força para mais um pedaço de vida!
Este País não é para velhos já diz o titulo do filme,que nem sequer é Português ,mas que cabe tão bem ao nosso País,em tantos sentidos...
Como eu há muitas outras pessoas ,que pensam da mesma forma...
Os nossos pais tem "pipis",cérebro...e coração para amar!

quarta-feira, 9 de março de 2011

Fichas Electricas ,"as Tomadas evoluiram"...

(Porque isto é para ser lido com bom humor por quem tiver vontade de perder tempo...aviso desde já que substituí os "Pipis"masculinos e femeninos por artigos electricos )
O sindrome das "Fichas Eléctricas e das Tomadas"...após tantos seculos e milénios ...continua por explicar!
Á noite naquela estrada escura,onde os carros passam apressados no retorno a casa,fico á espera do Autocarro sentada,e dou asas ás minhas reflexões...
Ás vezes gostava que fosse possivel fotografar os meus pensamentos e guardá-los,para depois os esmiuçar,e "desintrincá-los"...(falta de humildade)!
Dei por mim a recordar a frase de um amigo há uns dias-"Tu complicas as coisas..."...
No inicio do mundo nós"Tomadas"eramos tomadas de assalto,pois se queriamos ou não deixar-nos possuir pelas "Fichas Electricas"era irrelevante,porque alguém se lembrou de que não serviamos para mais nada senão "dar á luz","propagar a espécie",ou simplesmente ser submetidas pela força das ideias estrambolicas da época,porque era muito masculino tal coisa!
Hoje as "Fichas Electricas" pensam que as "Tomadas"servem exatamente para as mesmas coisas ,mas com uma abordagem mais elaborada,mas nem por isso mais inteligente!
Eu sou uma "Tomada",que não tem muito o hábito de confraternizar com as "Fichas Electricas"só porque tenho orificio que pode ser preenchido...
Depois coloca-se uma questão importante também,nós deixámos de dar á luz de cada vez que nos entrelaçamos electricamente ,mas não deixámos de ter corrente ...e de perceber que nos "iluminamos"em ondas magneticas de prazer!
Nunca sou de fazer juízos das "Tomadas "alheias nem das "Fichas Electricas"porque felizmente cada um pode fazer uso a seu belo prazer...e é por aí que a coisa "complica"...
Eu não tenho que "fornecer corrente" só porque é colorido tal tipo de "dating",porque ...há quem consiga "iluminar-se"com alguma facilidade...mas eu tenho que ter primeiro intimidade...emoções ,sentimentos...
Não me apetece "saír da parede "e ir como louca confraternizar com todas as "Fichas "com que me cruzo...
Não sou antiquada,muito pelo contrario até bem modernaça daí achar que finalmente podemos "iluminar-nos" com quem escolhemos sem sermos tomadas pela força...
Podemos ser selectivas e fazê-lo com paixão...
Eu acho que não complico nada...as "Fichas Eléctricas " é que ainda não perceberam a questão...
Como diz a minha irmã"isso é muito á frente"...
Se por este andar me vou tornar numa "Tomada" aborrecida,surumbatica,e quezilenta,até pode ser que sim,mas de momento ainda continuo a acreditar que eu "Tomada"evoluí,percebi como funciono,e como gosto de cuidar das minhas "iluminações"não deixando a cargo de qualquer "Ficha" anterior ao Homo Sapiens !
Isto é complicar?!
Como gosto de "escutar" as mentes masculinas...
Como continuam a temer a sua performance...
Deixem de duvidar das vossas capacidades e raciocinem sem estigmas do passado...
Com Amor a "iluminação é mutua"!

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Pinto a musica nas gotas de chuva,
com tonalidades da paleta da minha alma...
Pinto as minhas duvidas de verde,
porque o cinza é tão dejà-vu ...
Pinto as regras que desobedeço,
com cores garridas,
porque as regras tolas...finjo que não lhes conheço a cor..
O amor?
Sentimento ingrato,
não me deixa pintá-lo,
e tenho tantas cores para lhe dar...
mas ele foge,
tem medo,
assusta-se com a verdade que lhe falo...
E então visto-me de tela,
pincelando a óleo as sombras mágicas da tristeza,
as nesgas de luz da minha esperança,
e o colorido bom do meus sonhos ,
que guardo dentro de frasquinhos,
e destapo de vez em quando,
para fazer brilhar os meus olhos...
que choram e riem com gotas de chuva
e um doce sabor a notas de musica!

domingo, 6 de fevereiro de 2011

O verbo "ser-coragem"...e o labirinto...

Gosto da soleira da porta,
onde me sento,de mãos dobradas a segurar o queixo,
como menina que vê a diversidade de um imenso mundo...
Gosto de olhar os olhos de quem passa,
há sempre um quê de ausente,
em quem afugenta fantasmas...
Gosto de gostar de gente,
que sorri porque faz sol,
que chora porque a beleza em tudo emociona...
Gosto do pelo dos gatos,
das lambidelas fiéis dos cães,
das formigas que carregam ordeiramente o pão...
Gosto de comer com as mãos,
de delicadamente juntar pedacinhos de alimentos alinhados na pontas dos dedos,
e mastigar ,sentir nas papilas o amargo, o doce...com todos os meus sentidos...
Gosto de olhar para o telefone e imaginar,
que um dia do outro lado vai sair de rajada um "chorrilho" maior que "o mundo",
de palavras doces ,
quentes,
meigas,
sem vergonha de me saber sentada como menina, na soleira da porta...
Gosto de imaginar que aquilo que sou, será suficiente,
que não precisarei de ser outra "coisa" qualquer,
porque o que trago cá dentro é uma historia,
que não pode ser mudada...
Gosto de me sentir verdadeira,
sem pudor das minhas ideias que caminham sempre um passo á frente de mim,
porque a minha vontade é partilhar,
sem que me achem demasiado qualquer coisa...a não ser ...doce...
Gosto de pensar que as saudades de mim poderão invadir,
o verbo "ser-coragem",
que se atreva a amar...este labirinto...
E que o espaço de tempo dessa saudade seja ...o de um beijo... antes de outro...
De um abraço antes do outro seguinte...

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Ninho de sentimentos doces ...na alma!

Perco-me no sonho,
neste doce emaranhado,
neste cálido atropelo,
não sei mais de mim...
Deveria talvez dizer-me não,
mas a minha garganta anseia por...um sim...
E macero os meus dias no suco,
da incertaza pura,
na certeza pura porém,
de que os meus sentimentos não comando...
Nada me obedece,
já perdi a solidez...
E ululo ,
e vergo,
ao sabor deste vento,
que me arde o pensamento,
que me atinge num arremesso...
que de tanto fugir e esconder,,
sem dar conta,
se instala de mansinho ,
fazendo devarinho ninho...na alma...
Pensei ter encarcerado as emoções...
Falsa fantasia minha...
Elas volteiam em meu redor,
fazendo eco de paixão dentro de mim...

sábado, 29 de janeiro de 2011

Escreve-me cartas de amor

Escreve-me "cartas de amor",
com as palavras mais ternas que conheças...
Porque a minha alma está despida delas!
Oferece-me uma rosa de petalas macias,
de caule sem espinhos...
Porque ás vezes sinto que nas minhas mãos já não há espaço para mais feridas!
Fala-me do tempo,
das chuvas,
do morno do sol no teu rosto...
Porque me apetece escutar-te ...a voz!
Senta-te comigo a olhar o mar,
assim...quedos na areia branca...
Porque me canso de fitar a linha do horizonte...sózinha!
Mostra-me as tuas mãos,
deixa-me desenhar-te uma sina...
Porque quero incluir-me ...nela!
Não me olhes nos olhos ,
a não ser que queiras "afogar-te" neles...
Porque preciso de imaginar que me vês...como se fosse a unica!
Abraça-me da maneira mais terna que consigas,
sem receio ,
apertado...
Porque me urge o teu toque ...o teu afecto!
Faz-me esquecer as regras,
corrompe-me o corpo,
tira-me o sono e substitui-o por ti...
Porque quero embriagar-me do teu cheiro...da tua pele...e fundir-me nela!
Mas escreve-me todos os dias cartas de amor,
porque as palavras ditas leva-as o vento...
Mas as palavras gravadas ,desenhadas,cunhadas de amor ...o tempo não apaga!

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Não me lembro...

Não,
não me lembro da textura do amor,
nem da cor ,
nem do seu sabor!
Sinto,
porquê não sei,
que talvez não fosse amargo,
que talvez o beijo fosse aveludado,
e a cor...??
Não,
não me lembro!
Mas não entendo a minha falta de memória,
afinal, o amor já fez parte da minha história,
Talvez de uma maneira tão intensa ,
tão imensa,
que para não chorar,
decidi não o recordar...
E ele espreita-me ...
Esgueira-se por portas imaginárias que fecho temerosa,
Tenta chegar-se de mansinho,
devagarinho,
mas logo o afugento,
com palavras tontas,
ditas á velocidade do pensamento...
E tanto o temo ,
como o imploro...
Tanto me rio dele,
como o choro...
E sento-me ás vezes ,
encostada á janela,
a olhar atravéz dela,
na esperança de o ver chegar...
Mas...
e se o não reconheço?
Ou se vai embora assustado?
É que eu não sei a quantidade de amor correcta...
E se eu amar demasiado?
E se for loucura ?
Será pecado?
E torço as mãos enrodilhando os dedos,
falando de mim para mim ,segredos...
Digo-me que já não me lembro do sabor,
da cor,
da textura do amor...
Mas ainda lhe sinto o toque,
dos seus olhos na minha pele!

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Há "tempos"em que ,
nada daquilo que me pergunto ,
me respondo
E sei que não me secaram as ideias ,nem as respostas, nem as palavras...
mas calo-me...
E sei que também sou um emaranhado de frases bonitas ,
que não pronuncio
E sei que os sentimentos me afloram a pele,
mas escondo-os
Assim como quem guarda um tesouro,
de menina
Porque a insegurança é o meu registo...
Porque me perco no dever de ser enorme,
quando me sinto tão perdida e tão pequenina...
Ás vezes tenho medo de secar,de ficar amarga...
mas as meninas pequeninas são doces
E quando a coragem finge que vai embora,
escondo a menina,e faço-me ás palavras como gente grande,
adoçadas pelo de mel,que guardo dentro do peito...

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Cidade de ruelas ...

Se eu fosse uma cidade seria quase de certo uma cidade árabe cheia de ruelas ,onde se perderiam os transeuntes ,tal como me perco eu propria nas minhas imagens ,nas minhas procuras de soluções ,poções mágicas para curar os meus sentimentos as minhas frustrações ...e de onde por vezes surgem as minhas luzes...quase "insights"!
Porque mesmo nas ruelas mais escuras há sempre algures uma luz,nos olhos de alguém que passa...!
Eu Quixote e os moinhos de vento!
Eu que entendo que nada controlo!
Luto contra o medo...comendo afectos em forma de chocolate!
Sorrio comigo mesma ,porque até me vou entendendo...quase consigo atravessar a cidade sem ter que consultar o mapa...Mas os afectos ,o medo que me causa a fome que deles tenho...deles ,dos mimos de que quase já não me lembro!
Mas compro "açucar" e sento-me numa esplanada a ver pessoas de mão dada!
Gosto de ser cidade de ruelas(pretenção a minha!),onde a chuva cai e enlameia os pés...
Onde o sol bate no cimo das paredes quase nos terraços...
Onde cada canto tem historia...
Onde em cada esquina esvoaçam tecidos coloridos...
Onde desfio pensamentos e ideias,desejos e vontades,angustias e verdades...
E esperanças caladinhas ,quietinhas,pequeninas...
Porque são tão minhas...

Quem sou eu

Minha foto
espreito pelo canto dos olhos a minha alma,ávida de encontrar "coisas"sobre mim que desconheço!

Seguidores